Arquivo

Archive for the ‘Responsabilidade social e sustentabilidade’ Category

Campanha #SennaVive

No ano de 2010 Ayrton Senna, se estivesse vivo, completaria 50 anos. Em homenagem a isso o instituto Ayrton Senna vem promovendo ações com a colaboração de seus parceiros com o objetivo de arrecadar o maior número de receita para dar continuidade ao trabalho que já vem sendo desenvolvido pelo instituto.

Uma dessas ações é muito simples (e só tomei conhecimento dela hoje), basta escrever uma mensagem no site www.senna50.com.br ou no Twitter dizendo com quais valores Ayrton Senna lhe serviu de exemplo, acrescentando (obrigatoriamente) #sennavive. Essas mensagens serão contabilizadas e a cada mensagem as empresas parceiras do Instituto Ayrton Senna doarão R$ 2,00 para a campanha. A meta é alcançar o valor de R$ 300.000,00 que serão revertidos em incentivos educacionais dentro dos programas já realizados pelo instituto.

É uma ação simples, que não nos custa nada e que no mínimo vale ser divulgada, sendo assim REPASSEM.

PS: Só pra ninguém esquecer: SENNA É CORINTHIANS!

Anúncios

Hora do Planeta 2010. Você apagou as luzes, e agora?

Sábado dia 27 de março aconteceu novamente o evento conhecido como A Hora do Planeta, que consiste em apagar as luzes durante uma hora a partir das 20:30. Esse evento, criado e organizado pela WWF, teve sua primeira edição no ano de 2007 em Sidney na Austrália e a cada ano vem tendo a adesão de novas cidades e países. O Brasil teve sua primeira participação no evento em 2009 e vários monumentos históricos e várias cidades seguiram a risca a proposta de manter apagadas as luzes por uma hora. E nesse ano, 2010, acreditasse que houve uma adesão de aproximadamente 1 bilhão de pessoas.

Nesse ponto algumas pessoas se perguntam “De que vale tudo isso?” ou afirmam enfaticamente “Isso não serve pra nada”, “Não leva a lugar nenhum”, e em partes estão certos tanto em suas indagações quando em suas afirmações, mas vejam bem, eu escrevi aqui “em partes”. Digo isso porque realmente, mesmo havendo uma enorme adesão ao evento, apagar as luzes num único dia no ano não gera uma redução tão significativa em percentuais dos gases que causam o efeito estufa, porém esse não é o objetivo da campanha, reduzir a emissão de gases num único dia com uma única ação. O objeito da campanha acima de tudo é poder conscientizar a população mundial que se nós queremos mudanças primeiro elas têm que vir de nós mesmos e que nós podemos realizar essas mudanças mesmo sem a presença dos nossos governantes. A recente COP 15 prova isso, embora não tenha sido um fracasso total já que pela primeira vez China e EUA se dispuseram a estabelecer metas para redução da emissão de gases, entre outras coisas, ainda assim ela não representou nem metade do que se esperava. Isso porque nossos representantes, quando tem o poder de decisão e de ação, parecem preferir se omitir a agir com o empenho e com a seriedade necessária.

Pra quem ainda dúvida que pequenas ações são capazes de produzir um impacto significativo no que diz respeito ao problema da emissão de gases que causam o efeito estufa um recente estudo publicado pela Academia de Ciência dos EUA (Outubro de 2009) relaciona 17 medidas que são capazes de reduzir a emissão de gases em 20% ao ano e são medidas possíveis para qualquer um de nós. O que esse estudo nos mostra, principalmente, é que mesmo sem a interferência do poder público podemos atingir grandes resultados apenas com a participação da sociedade. As 17 ações que constam na pesquisa não passam de pequenas mudanças de hábito e pequenas ações como andar com os pneus dos carros calibrados, desligar os equipamentos que ficam em Stand-by quando não estão sendo utilizados, utilizar televisores LCD ou LED ao invés de Plasma ou CRT, dar preferência a eletroeletrônicos e eletrodomésticos que tenham selo de baixo consumo de energia, regular o ar condicionado, etc. Então vamos pensar, se com pequenas ações é possível um resultado desse nível o que seriamos capazes de conseguir se realmente nos empenhássemos e nos comprometêssemos com a questão do aquecimento global? E se tivéssemos uma maior participação do poder público e privado nessas ações? Com certeza os resultados seriam muito melhores e viriam num médio e não num longo prazo.

Independente do quanto cada um pode fazer pra minimizar os efeitos do aquecimento global é lógico que nossos governantes e as instituições privadas não podem se isentar da responsabilidade que possuem. Contudo, cabe a nós darmos os primeiros passos e mostrarmos qual o caminho que deveremos seguir pra que a emissão de gases seja um problema possível de resolver (ou mitigar).

Então, independente se você apagou ou não a luz durante uma hora nesse ano, não espere até o ano que vem pra agir novamente, caso contrário a Hora do Planeta 2010 não terá passado de um Flash Mob global. Temos que nos dedicar a esse assunto diariamente já que ainda temos um ano inteiro pela frente e só precisamos lembrar que são as pequenas ações realizadas em conjunto que são capazes que prover um grande resultado.

PS: Clique aqui e tenha acesso à pesquisa completa em formato PDF (texto em inglês)

HOME – O mundo é a nossa casa

Home - Poster Lançado dia 5 de junho (dia mundial do meio ambiente) em mais de 50 países e simultaneamente nos cinemas, DVD e no YouTube, Home é um documentário audacioso do jornalista, fotografo e ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand. Esse projeto levou 18 meses para ser concluído, contou com aproximadamente 488 horas gravação imagens mundo todo e só foi possível sua realização devido a colaboração do Grupo PPR. Home nos trás novamente a discussão sobre o aquecimento global e nos mostra como o nosso modo de vida consumista está acabando com o planeta onde vivemos, nossa casa, e nos faz perceber que nunca o planeta sofreu tantas mudanças em toda a história da humanidade como nos últimos 50 anos.

Mas depois de filmes como Uma verdade inconveniente (excelente por sinal) o que mais poderia ser dito a respeito desse assunto? A resposta é – MUITA COISA! O grande diferencial desse filme é a visão do Yann que ficou conhecido pelo trabalho A Terra vista de céu, com uma coleção de imagens surpreendente e a forma como o documentário corre. Esse filme não traz gráficos informativos ou dados e fatos sobre o aquecimento global em números o tempo todo e diferente do filme do Al Gore, Home, não tem um enfoque político, nele o foco somos nós, sobre o que nós, pessoas comuns, estamos fazendo com nosso planeta. Home começa sua história do princípio, nos mostrando (ou nos fazendo imaginar) como que se deu a vida na Terra ao longo de seus 4 bilhões de anos, nos mostra como tudo na natureza possui um equilíbrio e como isso se dá e como nós gradativamente passamos a consumir todos os recursos do planeta.

Apesar de toda a destruição causada por nós que o filme nos mostra e nos trazer previsões bem pessimistas quanto ao futuro da humanidade nos próximos 10 anos ainda assim ele tem uma mensagem muito esperançosa com relação ao futuro, mas pra isso temos que mudar nossos hábitos imediatamente e não ficarmos dependendo eternamente dos nossos governantes, assim como na natureza nossas ações estão interligadas e o pouco que cada um de noz fizermos quando somado pode ser determinante para minimizar os efeitos do aquecimento global para as gerações futuras.

Em tempos que se comemora 40 anos da viagem do homem a lua e com novas viagens tripuladas sendo planejadas tanto para a lua como para outros planetas, talvez alguns pensem que o objetivo dos programas espaciais seja a colonização de outros planetas, mas mesmo a ficção já sabe que Terra só existe uma e que se nós quisermos ter onde morar é melhor cuidarmos bem do local onde vivemos.

Deixo aqui a sugestão desse filme, veja no YouTube, vá a locadora ou eu mesmo posso passar um link para download do filme, mas não deixem de assistir e refletir sobre como podemos começar a mudar esse cenário.

Site oficial do projeto: http://www.home-2009.com
Canal do YouTube exclusivo ao projeto: http://www.youtube.com/homeproject

PS: Queria colocar uma galeria de imagens aqui, mas ia ficar muito ruim, por isso vejam o trailer.

Projeto Correspondentes perde patrocínio

Em 2006 tomei conhecimento do projeto de inclusão social “Correspondentes” através do programa Ação apresentado pelo Serginho Groisman nas manhãs de sábado pela rede Globo. O projeto consiste na troca regulares de cartas com crianças e adolescentes residentes de abrigos ou núcleos socioeducativos. Essa troca de cartas é assistida por profissionais, pedagogos e psicólogos, visando proteger a criança que na maioria das vezes já se encontra numa situação emocional delicada. Com essa troca de correspondências esperasse o estabelecimento de uma relação afetiva e de confiança entre voluntário e criança, permitindo compartilhar histórias, pensamentos e sentimentos de diferentes realidades socioculturais.

Infelizmente no início desse ano o projeto perdeu um importante patrocinador devido à crise econômica e embora outras parcerias tenham sido estabelecidas foi necessário reduzir o número de correspondentes. Hoje são 400 voluntários a menos no programa que corresponde também a 400 crianças que também não vão mais receber correspondências, que estão fora do programa assim como eu. Abaixo deixo uma breve reportagem que trata justamente da perda desse patrocínio.

Como eu disse eu fiz parte do projeto como voluntário e posso comprovar a seriedade do mesmo. É incrível como o pouco que você dá se transforma em muito pra quem não tem.

Gostaria muito que essa informação fosse divulgada pra todos (amigos, parentes, desconhecidos) e que mais que voluntários o projeto precisa de dinheiro. Para realizar doações acessem a página oficial do projeto, lá consta qual o custo para manter o projeto por criança, mas é possível fazer doações em qualquer valor.

Visitem o site para ter maiores informações sobre o projeto
Inpros – Instituto de projetos sociais
www.inpros.org.br

Mais uma vez eu peço que divulguem e que colaborem.

Para saber mais sobre o projeto veja os links abaixo:
Planeta Sustentável
Portal do Voluntário HSBC
Fantástico (Rede Globo)