Arquivo

Archive for the ‘Livre’ Category

Quase abandono

Cabeça-balão

Uma rápida explicação, o título do post não se refere à ideia de que eu quase abandonei esse blog (isso nunca passou pela minha cabeça), mas sim pelo estado de total (ou quase) abandono que tenho dado a ele.

Esse não é um post pra que eu justifique o porquê do blog ter andando abandonado por tanto tempo, com posts esporádicos e quando publicados se limitando a um mesmo tema. O fato é que as razões para isso são as mais diversas e todas elas se combinam desde falta de tempo, mudança de prioridades, preguiça, procrastinação, etc. Os projetos dos quais participo acabaram indo pro mesmo buraco, o 101 coisas em 1001 dias eu demorei pra cancelar e sua retomada está atrasada há meses, mas o pior é o Desafio Literário que não publico uma resenha desde fevereiro e o pior é que tenho seguido a risca as leituras conforme o cronograma (estou mentindo, os livros de abril eu não terminei de ler o primeiro), mas postar na correria só pra ficar dentro do prazo estava me irritando.

Até aqui tudo bem não é mesmo? Afinal de contas é só um blog e uns poucos projetos também relacionados ao blog. O problema é que não é bem por ai, acabei percebendo que tenho adotado essa postura em outras atividades como trabalho, estudo e outros aspectos da minha vida. Vale uma ressalva aqui, isso não é algo tão trágico como pode ter soado agora a pouco, não tenho deixado de fazer nada que me prejudicasse, mas tenho levado muitas coisas no automático e deixado no pause outros projetos pessoais que pra mim são importantes (ou pelo menos divertidos). Em resumo acho que posso dizer que perdi o prazer num monte de coisas e isso tem me irritado demais!

Bom, sem me estender mais do que já fiz até agora e sendo bem direito o fato é que gradativamente irei retomar a atividade aqui do blog. Aos poucos colocarei em dia meus posts, mesmo que com data de validade vencida e até fora de contexto em alguns casos. Do Desafio Literário retomarei do mês corrente e junto escreverei algo relativo aos livros dos meses anteriores. Quanto ao projeto “101 coisas em 1001 dias” aqui vai um compromisso, até o dia 31 desse mês eu publicarei uma nova lista com novos objetivos.

No mais é só, querendo ou não o blog acabou se transformando num termômetro de como tenho levado outras atividades, quanto mais abandonado estiver o blog, mais relapso e negligente eu tenho sido com essas outras atividades.

Aos poucos tudo voltará ao normal… Ao menos assim espero.

Categorias:Livre

Mensagem de final de ano: Feliz olhar novo!

O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho.

É viver cada momento e construir a felicidade aqui e agora.

Claro que a vida prega peças. O bolo não cresce, o pneu fura, chove demais…

Mas, pensa só:

Tem graça viver sem rir de gargalhar, pelo menos uma vez ao dia?

Tem sentido estragar o dia por causa de uma discussão na ida pro trabalho?

Eu quero viver bem… E você? 2010 foi um ano cheio.

Foi cheio de coisas boas, mas também de problemas e desilusões.

Normal… Às vezes, se espera demais.

A grana que não veio o amigo que decepcionou, o amor que acabou.

Normal… O ano de 2011 não vai ser diferente. Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas, e aí? Fazer o quê? Acabar com o seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?

O que eu desejo para todos nós é sabedoria. E que todos nós saibamos transformar tudo em uma boa experiência.

O nosso desejo não se realizou? Ótimo… Não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa para esse momento.

Lembro-me sempre de uma frase que ouvi e adoro:

“Cuidado com seus desejos, eles podem se tornar realidade”.

Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano… Mas, se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes.

Desejo a todos esse olhar especial! 2011 pode ser um ano especial, se nosso olhar for diferente. Pode ser muito legal, se entendermos nossa fragilidade, nosso egoísmo e dermos a volta nisso.

Somos fracos, mas podemos melhorar.

Somos egoístas, mas podemos entender o outro.

2011 pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, especial!

Depende de mim… De você.

Pode ser… E que seja!

Juntando esta ideia com esta abaixo que foi escrita pelo nosso sábio poeta…

“Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial, industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui por diante vai ser diferente”.

São os sinceros votos de um Feliz Natal e um Ano 2011, repleto de esperança!

O texto acima eu recebi hoje por e-mail de um grande amigo. Achei o texto bárbaro, simples e direto, então fiz questão de postá-lo aqui também, contudo, me incomodou um pouco não saber qual o autor do texto. Pesquisando por ai vi atribuições a Arnaldo Jabor, Carlos Drummond de Andrade (moderninho e coloquial demais pra ele não acham?), etc. Como não consegui identificar com certeza qual o autor preferi deixar sem essa informação, porque assim acredito que o mais importante é a mensagem que o texto transmite independente de quem a tenha escrito.

Sendo assim reitero meus sinceros votos de um feliz natal, um ótimo 2011 para todos!

Categorias:Livre Tags:,

Um conto de natal: Nicholas was…

Vi esse vídeo no site da Heroi e achei o máximo, e aproveitando o ensejo eu não poderia deixar passar essa oportunidade de compartilhar esse vídeo com vocês.

A animação foi desensolvida pelo 39 Degrees North e trata de um poema de natal escrito pelo escritor inglês Neil Gaiman.

Sem dúvida uma visão pouco usual do sr. Noel, mas eu gostei assim… até porque seria estranho esperar algo diferente, afinal é Neil Gaiman.

Fiquei com preguiça fazer a legenda e colocar no vídeo, então estou reproduzindo o texto traduzido tal qual consta no site da Heroi.

Nicholas era…

Mais velho que o pecado, e sua barba não podia ser mais branca. Ele queria morrer.

Os pequenos nativos das cavernas do Ártico não falavam sua língua, mas conversavam na sua própria linguagem estranha, conduziam rituais incompreensíveis, quando não estavam trabalhando nas suas fábricas.

Uma vez por ano eles o forçavam, entre soluços e protestos, na Noite Interminável. Durante a jornada, ele deveria ir até cada criança do mundo e deixar um dos presentes invisíveis dos anões ao lado de suas camas. As crianças dormiam, congeladas no tempo.

Ele invejava Prometeu e Loki, Sísifo e Judas. Sua punição era mais dura.

Ho.

Ho.

Ho.

É isso ai galera, Feliz Natal pra todos! Ho, Ho, Ho…

Categorias:Livre Tags:,

Muito tempo depois, enfim uma atualização

Aqueles que acompanham esse blog, mesmo que raramente, devem ter percebido que as atualizações vinham ocorrendo com cada vez menos frequência até o ponto no qual elas simplesmente pararam de ocorrer. Motivos houve vários, outras prioridades surgiram, tive alguns problemas no meio do caminho de ordens diversas, mas acredito que no final das contas passei a não atualizar mais esse blog porque comecei a me questionar quanto a linha que eu estava seguindo, simplesmente minhas postagens não estavam me satisfazendo mais. Acredito que faltou uma maior entrega ao blog e como não estava mais disposto a fazer isso acabei deixando as atualizações de lado e pensei até em desativar minha conta.

Não desativei o blog, algumas coisas ainda me incomodam, mas como esse blog é pra mim um grande exercício e como ele também não tem compromisso com nada ou ninguém, então eu resolvi ir levando. As atualizações voltarão gradativamente, inclusive alguns posts que eu já deveria ter escrito. Tudo bem alguns posts ficarão fora de contexto se escritos futuramente, mas isso não é tão importante.

Quanto a minha participação no projeto “101 coisas em 1001 dias” ela ainda continua e ele ainda poderá ser acompanhado por este blog. Tenho que atualizar a lista com as tarefas que já cumpri, outras terei que mudar, subtrair e adicionar, mas as atualizações ocorrerão e embora admita que eu esteja um tanto atrasado no cumprimento do programa é importante frisar que ele ainda está sendo cumprido (atualizações em breve).

Então esse blog continuará do mesmo jeito que começou, sem grandes pretensões e responsabilidades, por isso fiquem a vontade para continuar a acompanhá-lo ou esquecê-lo.

Categorias:Livre

LIPDUB – “Aqui é mais legal”

Lipdub é a “nova mania” entre as universidades.

Mas afinal, o que é LIPDUB?

Até semana passada eu tinha a mesma noção que a grande maioria das pessoas sobre esse assunto, ou seja, NENHUMA, contudo, graças a um vídeo que vi no início dessa semana (e que achei bem legal por sinal) e resolvi procurar entender direitinho do que se tratava.

Lipdub é um termo que podemos traduzir como Dublagem Labial e diz respeito a um vídeo no qual várias pessoas dublam o áudio original de uma música. Esse vídeo normalmente é gravado de uma única vez, sem cortes ou edição, filmado no estilo “câmera na mão”, que deve ser a mais adequada já que essa filmagem costuma ser sempre em movimento. Ou seja, a câmera vai andando e filmando o povo que vai dublando a música.

Explicando assim parece estranho, ou vago, mas garanto que o vídeo é autoexplicativo.

Abaixo o Lipdub gravado pelo pessoal de FCA do Centro Universitário CEUNSP de Salto.

Esse é o vídeo em questão que me fez conhecer o Lipdub, mas porque eu vi justo esse? Simples, meu irmão mais novo estuda lá e ele fez parte das filmagens.

Pelo que ele me disse foram feitas quatro versões desse vídeo e eles ficaram com a melhor. Tudo foi gravado de forma muito espontânea no intervalo das aulas.

PS: Se lá é mais legal eu não sei, só sei que com certeza a faculdade que eu fiz foi muito chata e não tinha nada disso =/.

PS2: É possível encontrar outros vídeos de Lipdub da internet, inclusive um vídeo alemão que foi o precursor do tipo das universidades.

PS3: Ah! E eu também não sei em que parte do vídeo o meu irmão aparece.

Categorias:Família e Amigos, Livre Tags:, ,

Poemas para todas as mulheres

Hoje, 8 de março, dia Internacional da Mulher!

Confesso que não era minha ideia escrever qualquer post a respeito, não por desrespeito, mas sim pra não cair na vala comum em que a maioria absurda das pessoas caem nesse dia. Enaltecer a mulher de forma demagócica como uma “flor cálida e pura“, blá, blá, blá… Isso não cola! E nem costuma estar de acordo o que o realmente pensam a maioria das pessoas que escrevem isso ou mesmo com o que são as mulheres hoje em dia, mas em fim… resolvi não escrever.

Contudo, para não deixar passar em branco, ao invés de deixar qualquer (mal)escrito a respeito eu optei por reproduzir aqui um texto de alguém que amava as mulheres, todas elas, e que reproduziu tão bem em poesias, não o que são as mulheres, mas sim o que sentia por elas.

No teu branco seio eu choro.

Minhas lágrimas descem pelo teu ventre

E se embebedam do perfume do teu sexo.

Mulher, que máquina és, que só me tens desesperado

Confuso, criança para te conter!

Oh, não feches os teus braços sobre a minha tristeza não!

Ah, não abandones a tua boca à minha inocência, não!

Homem sou belo

Macho sou forte, poeta sou altíssimo

E só a pureza me ama e ela é em mim uma cidade e tem mil e uma portas.

Ai! teus cabelos recendem à flor da murta

Melhor seria morrer ou ver-te morta

E nunca, nunca poder te tocar!

Mas, fauno, sinto o vento do mar roçar-me os braços

Anjo, sinto o calor do vento nas espumas

Passarinho, sinto o ninho nos teus pêlos…

Correi, correi, ó lágrimas saudosas

Afogai-me, tirai-me deste tempo

Levai-me para o campo das estrelas

Entregai-me depressa à lua cheia

Dai-me o poder vagaroso do soneto, dai-me a iluminação das odes, dai-me o cântico dos cânticos

Que eu não posso mais, ai!

Que esta mulher me devora!

Que eu quero fugir, quero a minha mãezinha quero o colo de Nossa Senhora!

PS: Poema extraído do livro “Vinicius de Moraes — Poesia completa e Prosa”, Editora Nova Aguillar — Rio de Janeiro, 1998, pág. 262.

Categorias:Livre

O Natal

Aproveitando o ensejo do Natal resolvi relembrar um video muito bacana de uma galera que eu gosto muito que é o pessoal do Massaroca. Alias, esse é um ótimo vídeo que conta inclusive com a participação de Antônio Abujamra.

Confiram o vídeo, mesmo sendo antiguinho, acredito que irão gostar.

Ah! E pra aquele pessoal que não é tão fã do Natal temos também aquela ótima musiquinha de uma das melhores bandas do punk rock nacional da década de 80.

HO! HO! HO! FELIZ NATAL PRA TODOS! 🙂