Arquivo

Archive for the ‘Família e Amigos’ Category

LIPDUB – “Aqui é mais legal”

Lipdub é a “nova mania” entre as universidades.

Mas afinal, o que é LIPDUB?

Até semana passada eu tinha a mesma noção que a grande maioria das pessoas sobre esse assunto, ou seja, NENHUMA, contudo, graças a um vídeo que vi no início dessa semana (e que achei bem legal por sinal) e resolvi procurar entender direitinho do que se tratava.

Lipdub é um termo que podemos traduzir como Dublagem Labial e diz respeito a um vídeo no qual várias pessoas dublam o áudio original de uma música. Esse vídeo normalmente é gravado de uma única vez, sem cortes ou edição, filmado no estilo “câmera na mão”, que deve ser a mais adequada já que essa filmagem costuma ser sempre em movimento. Ou seja, a câmera vai andando e filmando o povo que vai dublando a música.

Explicando assim parece estranho, ou vago, mas garanto que o vídeo é autoexplicativo.

Abaixo o Lipdub gravado pelo pessoal de FCA do Centro Universitário CEUNSP de Salto.

Esse é o vídeo em questão que me fez conhecer o Lipdub, mas porque eu vi justo esse? Simples, meu irmão mais novo estuda lá e ele fez parte das filmagens.

Pelo que ele me disse foram feitas quatro versões desse vídeo e eles ficaram com a melhor. Tudo foi gravado de forma muito espontânea no intervalo das aulas.

PS: Se lá é mais legal eu não sei, só sei que com certeza a faculdade que eu fiz foi muito chata e não tinha nada disso =/.

PS2: É possível encontrar outros vídeos de Lipdub da internet, inclusive um vídeo alemão que foi o precursor do tipo das universidades.

PS3: Ah! E eu também não sei em que parte do vídeo o meu irmão aparece.

Categorias:Família e Amigos, Livre Tags:, ,

Um pouco sobre o amor…

92149194

Hoje é um dia muito especial pra alguém muito próxima de mim, hoje é o dia de seu casamento e eu tive a honra de ser convidado como um de seus padrinhos.

Eu admito que tive certa hesitação em aceitar esse pedido dada a responsabilidade que vejo que tem um padrinho de casamento (os melhores presentes? Não…), mas como eu não poderia aceitar um pedido como esse, poder participar de um dos dias mais importantes da vida dessa pessoa.

Como eu disse a ela o padrinho tem significado de testemunha, ele está ali para testemunhar a união do casal. Mas como tenho uma visão bem particular desse assunto eu gosto de ir um pouco além, pra mim o padrinho é a testemunha não só da união do casal, mas é a testemunha do amor que existe entre eles.

84406330Testemunhamos uma forma de amor diferente de tantas outras formas que existe, não é aquele amor que se sustenta apenas do amor e que com o tempo se consome por completo como o fogo que queima até não ter mais nada para queimar. Não é aquele amor de contos de fadas ou cinematográfico no qual sempre projetamos o relacionamento ideal com a pessoa ideal (o príncipe encantado ou a mulher perfeita), essa forma lúdica e por vezes até infantil é incompatível com essa forma de amor. Esse é um amor real, concreto, palpável, que admite que a outra pessoa possua defeitos, possua diferenças e que existam divergências de opiniões, mas que se sustenta porque é um amor com o propósito de construir algo junto, algo novo, algo maior que ele próprio.

Casamento vem de Casa que é o mesmo que um lar, que família, que é e sempre será o nosso porto seguro e testemunhar o casamento de alguém é assumir que ambos possuem o amor e a disposição para construírem algo juntos e que perdure além do próprio casamento.

Posso não ter colocado da melhor forma possível, mas é nisso que eu gosto de acreditar e é por isso que eu torço não só para eles, mas pra todos que tem esse propósito, essa disposição e esse comprometimento.

 

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

10064901

E que sejam felizes para sempre…

PS: Não sou religioso, mas gosto dessa passagem.

PS do ps: Tá, eu admito fui cafona sim rs.

¶ Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
4 ¶ O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 ¶ O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

Amizades que vem e que vão…

Embora eu não seja um velho posso dizer com propriedade que conheci várias pessoas diferentes em minha vida e algumas delas se tornaram muito importantes pra mim a ponto de que em algum momento eu cheguei a acreditar, daquela forma bem infantil e lúdica, que aquilo iria durar para sempre. Mas o tempo passa e em algum momento todos nós lidamos com o fato que nada é para sempre, que tudo acaba, e como tudo que existe nessa vida mesmo essas grandes amizades também chegam ao fim.

Então o contato diminui, o assunto também, de repente toda aquela afinidade começa a desaparecer tornando visível apenas as diferenças que temos e pouco a pouco aquele rosto amigo parece se tornar um total desconhecido. Nesse ponto muitas pessoas tendem a ficar magoadas, ressentidas, e quando damos por si estamos nos perguntando  – “Como é que ela pode ter mudado tanto?” ou – “Como ela pode ter me esquecido desse jeito?”.

O fato é que ficamos tão preocupados com o que aconteceu com a outra pessoa que esquecemos que nós também mudamos. Temos o hábito de dizer “poxa você sumiu”, mas esquecemos que as vezes fomos nós que não nos fizemos presentes e percebemos que todos os telefonemas, cartas, e-mails, sms, etc, eram feitas pela dita pessoa “sumida”. Acusamos os outros de não terem tempo pra nós e as vezes não vemos que nós também não tivemos tempo pra elas com nossas mudanças de emprego, de cidade, faculdade, pós-graduação, TCC, sem esquecer é claro namoro, noivado e afins. As vezes temos dificuldade de enxergar o óbvio, que a vida é cheia de encontros e desencontros e que esses caminhos que se cruzam ou deixam de se cruzar é apenas a vida acontecendo.

Particularmente eu prefiro ver todas essas mudanças da forma mais positiva possível. Ao invés de ficar me lamentando pela amizade que eu “perdi” eu prefiro agradecer pelo fato de ter tido minha vida tocada por essas pessoas que foram tão especiais pra mim. Até porque de repente esses mesmos caminhos que deixaram de se cruzar podem voltar a se encontrar e mesmo sabendo que nada será como antes é muito bom quando a gente sente que aquele mesmo carinho que havia no início continua lá. E é isso que conta porque é esse carinho que permite que essa mesma amizade, mesmo depois da ação implacável do tempo, se renove e se transforme sempre.

Por isso se de repente você estiver andando por ai e ver do outro lado da rua aquela pessoa que você um dia já chamou de AMIGO e hoje parece não mais te reconhecer, parece ter esquecido de você, experimente então atravessar a rua e dizer um oi. Talvez ela esteja pensando exatamente a mesma coisa de você e um simples “Oi” pode ser o pretexto pra renovar essa amizade, mas tenha certeza que mesmo não sendo nunca mais o que foi um dia nada impede seja algo novo e cheio de felicidade. Mas se isso não acontecer não se arrependa, pelo menos você pode ter a certeza que o que passou foi o suficiente pra ter valido a pena.

Lucky – Colbie Caillat & Jason Mraz


 

PS: A idéia para esse post me veio depois de conversar com alguém muito especial, alguém que já fiz sorrir, que já vi chorar, alguém que ficava feliz ao me ouvir cantar desafinadamente , que me ensinou o que é um abraço de verdade e que já chegou a pedir que nada, nem ninguém, nem mesmo o tempo nos distanciasse. Tivemos nossos momentos, como tudo aquilo que é um momento… passou, mas hoje, mesmo diferente, mantemos o mesmo carinho, o mesmo querer bem um ao outro que tivemos e isso me deixa muito feliz, feliz pelo que já foi e feliz pelo que ainda existe.

Agora o que isso tem a ver com a musiquinha ai em cima? Oras… NADA! Ela foi apenas o pretexto pra uma nova conversa… e pra esse post.

pyong_raposa_fox-14

PS2: Removi o vídeo porque ele ficou fora do ar

A ignorância é a mãe da tolice

A diferença entre conjectura e discernimento é a diferença entre a especulação e a sabedoria.

O sábio ou aquele que discerne se envereda por caminhos simples, desembaraçosos e dado a dignidade inquestionável por qualquer coração honesto.

Não existe dogma, regra ou cifras para sabedoria ou discernimento e não se limita dentro de uma tradição cultural e religiosa.

Para ser sábio, precisa-se apenas uma mente acurada linkada com um coração reto.

A especulação e conjectura não são os sinônimos de sabedoria e nem sequer uma mera virtude de quem é sábio.

Conjectura é arte do esforço braçal para dar consistência ao achismo e que não tem nada a ver com aquilo que explode na mente e no coração de modo revelador.

Conjectura é a especulação da fé gerando crendice. É dar eco a uma voz sem firmeza a fim de ouvir um coro que não existe.

Conhecimento é tudo aquilo que absorvemos da vida e sabedoria é tudo aquilo que transpiramos com domínio do conhecimento, da sã consciência, dum reto entendimento.

Especulação é o domínio do conhecimento muitas vezes de modo leviano para conceber um Frankenstein, híbrido de verdade e mentira.

Alguém já disse: ‘Aquilo a que a lagarta chama fim do mundo, o homem chama borboleta.’

A perspectiva que decidimos enxergar as coisas não mudará nada caso não decidamos vê-las com honestidade e sem deixar de lado o amor pela verdade sem hibridez e sem ofuscamento daquilo que deveria chegar até nós de modo despido, simples e natural.

A ignorância é a mãe da tolice.

Pense nisso!

Bom sábado, bom domingo!

Moisés Lourenço Gomes


Essa não é a primeira vez que faço referência ao meu amigo Moisés Lourenço Gomes, esse texto foi enviado à mim por e-mail e achei interessante dividí-lo com vocês.

Espero que gostem e que tenham todos um ótimo fim de semana.

Pra alguém especial

Quando conhecemos alguém como é que sabemos qual a importância que essa pessoa terá em nossa vida daquele momento em diante? Como percebemos que estamos diante de alguém especial quando tudo o que somos capazes de ver é o comum? Sinceramente eu não sei, mas acredito que isso não leva mais do que um instante. Alguma coisa acontece na primeira troca de olhares, talvez numas poucas palavras que são ditas, gestos, ações, eu não sei… Mas acredito que intimamente nós sabemos que daquele instante em diante aquela pessoa terá um papel cada vez mais importante em nossa vida.

Esse post poderia ser sobre isso, sobre pessoas especiais, eu poderia trazer aqui algum argumento qualquer que explique como esses fenômenos se dão em nosso cérebro e como isso se reflete em nossa vida (blá, blá, blá), mas não será o caso. Esse post na verdade é uma forma muito simplória que eu encontrei pra dizer que hoje é um dia muito especial pra uma dessas pessoas que fazem parte da minha vida, uma pessoa que tem o incrível talento de me tirar do sério, que mais me irrita do que me faz rir, mas que por alguma razão em algum instante ao longo desses 6 anos se tornou muito importante pra mim. Já perdi a conta de quantas vezes te fiz rir, de quantas vezes me diverti as suas custas tirando você do sério ou colocando-a em situações difíceis, me envergonho por ter sido capaz de fazê-la chorar e me conforto ao saber que isso não foi mais do que a quantidade de vezes que fui capaz de fazê-la feliz (mesmo você não admitindo na maioria das vezes).

Eu sei que vou me arrepender por isso, mas você continua sendo muito importante pra mim e por mais que eu faça eu acho que nunca vou conseguir compensar o imenso bem que você me faz. Se não estou tão presente como eu estava antes não se preocupe, estarei perto o suficiente pra tirá-la do sério sempre que possível, no mais o resto você já sabe…

Feliz Aniversário Linda!

PARABÉNS!

O último discurso de “O Grande Ditador”

Já faz algum tempo que eu recebi por e-mail o post que você está lendo agora. Quem o enviou pra mim foi um grande amigo meu (da minha infância inclusive), Moisés Lourenço Gomes, que eu já não via a alguns anos e nesse post ele replicou todo o discurso final feito por Charles Chaplin ao final de um de seus filmes mais brilhantes “O Grande Ditador”. O discurso feito quebra o ritmo de comédia do filme para alertar e fazer um apelo contra a intolerância, seja ela qual fosse e em prol dos direitos humanos.

Pensei em colocar esse post no anterior como mais um link, mas por eu acreditar que ele merece uma atenção maior eu estou replicando ele aqui.

Para acessar o post origial clique aqui.

The final speech from Charles Chaplin´s movie “The Great Dictator”
O discurso final do filme de Charles Chaplin “O Grande Ditador” (1940).

Ganhou os prêmios Melhor Música, Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro Original.
Associação dos Críticos de Nova York 1940 – Vencedor de Melhor Ator.

Leia e assista o vídeo (vídeo no final desta página). Excelente discurso!!

O último discurso de “O Grande Ditador” Leia mais

Parabéns Eric!

Os magos da tela do computador
Os magos da tela do computador

Esse post é uma discreta homenagem a um grande amigo meu, Eric Vanucci, publicitário e designer, que depois de muito tempo ralando (e ralando muito) passa a ser cada vez mais reconhecido pelos seus trabalhos em diferentes áreas. Acima vocês conferem matéria de capa de um dos cadernos do Estadão e que faz referência ao “boom” do mercado de animação no país que vive um ótimo momento.

Particularmente eu sempre acho super legal quando vejo meus amigos dando certo, porque a maioria eu acompanho de longa data e embora tenhamos consciência do quanto ainda estamos longe daquilo que consideramos ideal não percebemos que o caminho percorrido pra chegarmos até aqui foi longo e desafiador.

Abaixo está um pequeno curta que deveria ter concorrido no festival de filmes feitos por câmeras celulares que NÃO ACONTECEU em Indaiatuba, na verdade foi CANCELADO sem comunicar todos os participantes. Agora o que fizeram com as premiações eu não quero nem comentar…até porque isso não importa.

Curtam o vídeo, embora curto vocês não fazem idéia do trabalho e das improvisações que tivemos que fazer pra chegar a esse resultado e particularmente eu fico muito satisfeito de ter feito parte desse projeto.

Peço que divulguem esse vídeo a todos os seus amigos e prestigiem esse trabalho que foi feito com muito carinho.

Caso tenham interesse em conhecer um pouco mais o trabalho do Eric vocês podem acessar qualquer um dos seus sites através do seu blog e portfolio.

Como ontem, dia 30 de junho, foi seu aniversário esse post fica aqui em forma de “Parabéns pra você”.

E QUE VENHA STARCRAFT 2 AGORA! Eu como Zergs no café da manhã! 😉

Abraços a todos!