Arquivo

Arquivo do Autor

Coleção Legião Urbana

Ontem fui surpreendido ao passar numa banca de jornais e encontrar o primeiro álbum da Legião Urbana embalado em formato de livreto e por módicos R$ 9,90. Ainda na banca descobri que se tratava de uma coleção distribuída pela Abril Coleções que tem o objetivo de lançar semanalmente cada um dos álbuns da Legião Urbana como parte de uma coleção em memória aos 15 anos da morte do Renato Russo. Ao todo serão 15 livros-CD, todos os álbuns de estúdio e edições ao vivo, contando histórias da banda e trazendo depoimentos e fotos raras da banda que marcou gerações e cravou seu nome como uma das mais importantes do rock nacional.

A coleção começou a ser distribuída dia 17 de outubro nas bancas e sua distribuição será semanal. A partir do quinto volume serão lançados dois volumes por semana. Como eu disse o preço do primeiro CD é de R$ 9,90 e os demais custarão R$ 17,90. Além disso, um Box acompanhará a coleção para guardar os volumes. Dado o capricho da coleção e a importância que a Legião Urbana teve pra mim eu não poderia deixar passar essa oportunidade, resultado: Comprei o primeiro volume e vou montar minha coleção.

Uma coisa me chamou a atenção, mesmo 15 anos após o fim da Legião Urbana, com a morte de Renato Russo, eu me surpreendi com a força que o grupo tem até hoje. Essa coleção não visa apenas os fãs mais antigos da banda, mas uma nova geração que só começou a ouvir as músicas do grupo quando ele não mais existia. Sem dúvida nenhuma se trata de uma ótima coleção que valoriza a história da banda e a ajuda a mantê-la mais viva que nunca.

Site oficial da coleção: http://www.colecaolegiaourbana.com.br

Urbana Legio Omnia Vincit

Força Sempre!

Anúncios

Rock in Rio 2011 – Eu Vou!

Quando esse post tiver ido ao ar eu estarei a destino do Rock in Rio 2011 que após 10 anos volta ao Brasil e a sua cidade natal que dá o nome ao evento, o Rio de Janeiro.

Sei que tem muita gente que não dá a mínima, que tem gente que se queixa das atrações como Rihana, Claudia Leitte, Kate Perry, etc, mas com todo o respeito eu estou indo por nomes muito mais significativos para mim e que ainda justificam o Rock que dá nome ao evento, como Sepultura, System of a Down, Red Hot Chilli Peppers e principalmente Motorhead e Metallica que já valem por todos os outros shows.

Sei que não é mais o mesmo festival que entrou para a história em 85, sei que hoje em dia os festivais não têm mais a mesma relevância que tinham antigamente quando era raríssimo poder presenciar um espetáculo de bandas tão significativas como essas, mas ainda é o Rock in Rio, ainda é Rock e ainda que não entre para a história, com certeza será um dos tantos eventos que fazem parte da MINHA história e pra mim isso é o que conta.

Verei os shows dos dias 24 e 25 de Setembro, volto pra São Paulo e depois torno a voltar ao Rio de Janeiro pra ver o último dia de evento.

Vou de mochilão nas costas, ficarei num albergue em que todos terão o mesmo destino que o meu e com um pouquinho de sorte eu volto, quem sabe, pra contar como foi essa experiência.

Aqueles que vão, nos veremos por lá, aqueles que ficam tenho certeza que curtirão muito seja pela TV, Internet ou fazendo qualquer outra coisa que não tenha nada a ver com o evento (gosto é gosto).

Semana que vem estarei de volta, bom final de semana a todos ;).

Recomeçando: 101 coisas em 1001 dias

Pois é… Segundo o que coloquei no post anterior eu já começo esse atrasado em quase dois meses, isso não é bom, mas pelo menos estou aqui novamente.

A partir do dia de hoje eu retomo o projeto 101 coisas em 1001 dias, dessa vez acredito que serei capaz de levar o projeto até o fim primeiro porque eu já tinha um bom nível de maturidade que consegui através até das experiências de outras pessoas no projeto, fora isso agora somo minhas próprias lições aprendidas no decorrer da primeira lista. Contudo seguem algumas considerações quanto ao novo projeto a seguir.

Essa nova lista traz algumas pequenas diferenças com relação à versão anterior, dela tirei alguns itens que já havia concluído, removi outras tarefas que já não faziam tanto sentido por diversas razões e reescrevi algumas pra que fiquem mais claras.

Com relação aos itens removidos percebi que boa parte, embora com objetivos claros e mensuráveis, eles me prendiam a uma condição específica para a conclusão. Seja participação de pessoas específicas e isso não é legal porque muitas coisas podem acontecer num intervalo muito curto de tempo e nem sempre você terá aquela pessoa a disposição quando você precisar. Outras são tarefas extremamente pontuais que se não for naquele momento eu não teria mais como realizar a tarefa, foi o caso da Bienal do Livro, estava tudo certo pra que eu fosse, mas houve um imprevisto, não pude ir e não aconteceria outra durante a duração da primeira lista, ou mesmo, passar o carnaval na Bahia. Não que eu não queria fazer isso um dia, mas minha vontade de conhecer a Bahia não se limita apenas ao carnaval, então se eu puder fazer essa viagem, ótimo, se for durante o carnaval, melhor ainda! Mas não irei me prender tanto a condições específicas pra não tornar a conclusão das tarefas tão engessadas.

Da lista atual algumas tarefas (a maioria) são as mesmas da anterior, contudo algumas vão merecer um acompanhamento diferente, mais próximo, e talvez faça delas até uma categoria própria aqui no blog. No caso as tarefas são Voltar a ficar abaixo dos 90 kg e as que envolvem minha participação em provas de rua. Quem me conhece de perto sabe que eu tenho uma grande vontade de realizar essas provas, mas na hora H eu sempre acabo sendo liso demais. Muita gente vinha me incentivando e me ajudando, mas acabe que sempre as deixei na mão (não é tão trágico como pode parecer) então é minha obrigação fazer o possível e o impossível pra ser capaz de cumprir com minha palavra e participar das provas que havia me comprometido a correr.

Para finalizar, talvez, o único item com critério subjetivo como critério de aceitação seja a tarefa Mudar, porém a ideia é essa mesmo, ser algo aberto e indefinido, mesmo pra mim. A razão disso é simples, mesmo sendo capaz de fazer várias coisas diferentes, tudo sempre acaba acontecendo dentro de uma normalidade que me incomoda um pouco, então a ideia dessa tarefa é forçar algum acontecimento que seja capaz de mudar de forma significativa a minha rotina, seja casando, tendo filho, arrumando um emprego que me faça ir pra algum lugar que eu não conheça, simplesmente mudando mesmo de uma residência para outra. Enfim, mudar.

No mais acredito que seja isso, além do mais é importante frisar que existem várias outras coisas que quero fazer e que não estão aqui ou que até estavam, tenho vontade de conhecer o PUB em Sorocaba, comer um “Frango Estufado” no Applebee’s, etc. Outra coisa importante lembrar é que mesmo sendo uma nova lista, revisada e melhorada, nada impede que algum item acabe sendo cancelado, por qualquer razão, e que novos entrem no lugar. O fato é que eu farei o possível para completar essa lista e com uma boa dose de humildade digo que se for capaz de concluir pelo menos 80% dela eu já me dou por satisfeito.

Por enquanto é só, aos poucos escreverei mais a respeito, mas até aqui acredito que tenha sido o suficiente.

Quase abandono

Cabeça-balão

Uma rápida explicação, o título do post não se refere à ideia de que eu quase abandonei esse blog (isso nunca passou pela minha cabeça), mas sim pelo estado de total (ou quase) abandono que tenho dado a ele.

Esse não é um post pra que eu justifique o porquê do blog ter andando abandonado por tanto tempo, com posts esporádicos e quando publicados se limitando a um mesmo tema. O fato é que as razões para isso são as mais diversas e todas elas se combinam desde falta de tempo, mudança de prioridades, preguiça, procrastinação, etc. Os projetos dos quais participo acabaram indo pro mesmo buraco, o 101 coisas em 1001 dias eu demorei pra cancelar e sua retomada está atrasada há meses, mas o pior é o Desafio Literário que não publico uma resenha desde fevereiro e o pior é que tenho seguido a risca as leituras conforme o cronograma (estou mentindo, os livros de abril eu não terminei de ler o primeiro), mas postar na correria só pra ficar dentro do prazo estava me irritando.

Até aqui tudo bem não é mesmo? Afinal de contas é só um blog e uns poucos projetos também relacionados ao blog. O problema é que não é bem por ai, acabei percebendo que tenho adotado essa postura em outras atividades como trabalho, estudo e outros aspectos da minha vida. Vale uma ressalva aqui, isso não é algo tão trágico como pode ter soado agora a pouco, não tenho deixado de fazer nada que me prejudicasse, mas tenho levado muitas coisas no automático e deixado no pause outros projetos pessoais que pra mim são importantes (ou pelo menos divertidos). Em resumo acho que posso dizer que perdi o prazer num monte de coisas e isso tem me irritado demais!

Bom, sem me estender mais do que já fiz até agora e sendo bem direito o fato é que gradativamente irei retomar a atividade aqui do blog. Aos poucos colocarei em dia meus posts, mesmo que com data de validade vencida e até fora de contexto em alguns casos. Do Desafio Literário retomarei do mês corrente e junto escreverei algo relativo aos livros dos meses anteriores. Quanto ao projeto “101 coisas em 1001 dias” aqui vai um compromisso, até o dia 31 desse mês eu publicarei uma nova lista com novos objetivos.

No mais é só, querendo ou não o blog acabou se transformando num termômetro de como tenho levado outras atividades, quanto mais abandonado estiver o blog, mais relapso e negligente eu tenho sido com essas outras atividades.

Aos poucos tudo voltará ao normal… Ao menos assim espero.

Categorias:Livre

Vejo você em breve

 

And oh, don’t lose your trust…

I see you soon ^^

Categorias:Música Tags:,

Filme: Rio

Sinopse

Dos criadores da série de sucesso A ERA DO GELO, agora chega às telas RIO, uma divertidíssima aventura sobre assumir riscos na vida. Blu é uma arara domesticada que nunca aprendeu a voar e tem uma vida tranquila e confortável ao lado de Linda, sua dona e melhor amiga, na pequena cidade de Moose Lake, Minnesota. Blu e Linda pensam que ele é o último de sua espécie, mas quando ficam sabendo que já outra arara azul que vive no Rio de Janeiro, eles partem para a terra distante e exótica na expectativa de encontrar Jade, uma fêmea da espécie de Blu. Logo depois de sua chegada, Blu e Jade são sequestrados por um grupo de contrabandistas de animais. Com a ajuda da experiente Jade e um grupo de debochados e faladores pássaros da cidade, Blu consegue escapar. Agora, com seus novos amigos a seu lado, Blu precisa descobrir a coragem para aprender a voar, enganar os sequestradores que continuam em seu encalço e voltar para Linda, a melhor amiga que um pássaro já teve.

Opinião

Em filmes tão comentados como esse é difícil dizer algo que já não tenha sido dito, porém depois de assistir não poderia deixar de dizer qualquer coisa que fosse sobre o filme mesmo que soe repetitivo pra alguém. Então, pra começar, eu quero dizer que ADOREI O FILME! Eu me diverti muito assistindo Rio e aqui já vai a primeira ressalva, Rio é um filme leve e divertido, essencialmente é um filme para crianças, o que não é um demérito, e que mesmo nós, adultos, podemos ver o filme e nos divertimos muito com ele. Acho que Rio encontrou um ótimo meio termo entre os antigos desenhos da Disney, pois o filme conta com várias músicas cantadas pelas personagens, e o dinamismo das animações atuais.

Rio é fantástico! Como não poderia ser diferente a qualidade da animação surpreende e embora eu tenha ficado um pouco temeroso quanto à imagem que seria feita do Rio na animação esse receio passou em pouco tempo. Basicamente o filme nos mostra duas cidades, uma sob a ótica do turista, passando pelo Cristo Redentor, Copacabana, sambódromo, etc. E a visão de quem já é da cidade, então o filme não deixa de mostrar a favela e a miséria que ela representa, sem ser demagógico ou piegas, funcionando muito bem sim como uma crítica social além de outras situações que também são mostradas no filme, que não vem ao caso citar aqui.

Pra finalizar gostaria de frisar aqui que minha visão do filme está longe de ser ufanista. Infelizmente como brasileiros temos dois péssimos hábitos, um de achar que tudo que leva nossa bandeira é ótimo só por ser brasileiro e outro que é do povo do contra que só por ser brasileiro ou falar do Brasil parecem querer achar defeito em tudo. Após ter visto o filme procurei por algumas críticas e me surpreendi com algumas (bem poucas por sinal) que criticaram o filme por não mostrar o Rio como ele realmente é, por usar como astros animais que não se veem por ai, ou por não ter mostrado a favela (esses acho que não viram o filme, já que a favela aparece no início do filme), ou por passar uma imagem muito estereotipada do brasileiro. Ora bolas, acima de tudo é um filme para criança, então minha pergunta é: O que eles estavam esperando, um “Cidade de Deus” para crianças estrelado por dois mosquitos da dengue?

Diferente dos filmes da Pixar que parece ter se especializado em fazer filmes com cara de filme infantil, mas com temática e profundidade de filmes adultos, Rio é mais simplista (não confunda com simplório), ou menos pretensioso, pois a intenção é puramente a de divertir. Rio é sim um ótimo filme e vale a pena sim ser visto, não por falar do Rio ou do Brasil, mas por ser divertido e tremendamente bem feito, por ter cenas lindíssimas, e por ser uma justa homenagem a um país que não é protagonista de uma animação desde aquele clássico filme de 44 com Pato Donald e Zé Carioca.

Em tempo

Sou paulistano, nunca fui ao Rio, no máximo passei por lá quando era criança, e devido a diversos fatores (ser paulistano não é um deles) nunca tive a menor vontade de conhecer o Rio e como muito ainda nutro certo preconceito pela cidade. Enfim, após assistir Rio pela primeira vez eu me despi um pouco do meu preconceito e achei que talvez valesse a pena conhecer a cidade. Então não deixe de ver o filme só porque ele fala do Brasil e não vá ao cinema apenas porque o filme fala do Brasil, vá porque Rio é um ótimo filme e, mais uma vez, merece sim ser visto.

PS: Vi o filme em 3D, não achei nada demais, me diverti tanto com o filme que as vezes eu tinha que lembrar que o filme era 3D pra prestar atenção nos efeitos. Mas se tem uma coisa que eu posso dizer quanto a esse efeito é que eu senti um pouco de inveja da capacidade que as crianças tem de se impressionar. Vi o filme numa sessão vespertina, ou seja, estava cheia de crianças e acabei me divertindo também vendo como elas interagem com o filme tentando pegar ou se assustando com os efeitos que saltam da tela.

Categorias:Filmes Tags:, , , ,

Livro: Jogadas da vida, de Julio César de Souza

Sinopse

O livro expõe a vencedora trajetória de vida do ex-jogador de futebol Júlio César, que iniciou sua carreira no Corinthians, na época da Democracia Corinthiana. Aos 19 anos, já era bicampeão paulista de 1982-83. Passou por vários clubes do Brasil antes de Jogar na Europa, onde ficou por dois anos. Encerrou a carreira como atleta e foi trabalhar como representante comercial, carreira na qual também obteve sucesso, mesmo já apresentando sinais de surdez. Após ficar completamente surdo, voltou aos gramados, agora como educador de crianças surdas pelo esporte. Desenvolveu um projeto educacional único no Brasil que já beneficiou milhares de crianças surdas tomando-o como exemplo de vida.

Resenha

Algo importante a ser dito sobre esse livro logo de cara é que não se trata de um livro sobre futebol, ou melhor, não se trata apenas de um livro sobre futebol. Acima de tudo é um livro que narra a trajetória de uma pessoa que teve tudo pra dar errado, ou, que teve todas as oportunidades que se possa imaginar para ter desistido de seus objetivos, no entanto, escolheu sempre continuar. Seu nascimento por si só foi sua primeira batalha, e também seu primeiro lance de sorte (se é que se pode dizer isso, já que algo relacionado ao seu nascimento marcaria sua vida no futuro), já que a gravidez de sua mãe foi considerada uma gravidez de risco e foi recomendado que ela fizesse o aborto. A partir daí começa a trajetória vitoriosa, mas não sem muita luta, de Julio César de Souza, que é tão bem contada nesse livro.

O livro é escrito em primeira pessoa e apenas em alguns momentos Júlio César nos conta sua história na terceira pessoa, dando um tom de romance à sua narrativa. Ele começa contanto sua trajetória desde antes de seu nascimento quando seus pais ainda moravam no Chile, o que nos ajuda a compreender a personalidade deles e como ela o influenciaria. Toda a história é contada em paralelo com o cenário do futebol da época, nos dando a entender como sua trajetória estaria ligada intimamente com esse esporte. O livro também nos mostra a difícil trajetória de um jogador profissional desde o fim dos anos 70 até o início dos anos 90, esvaindo quase que por completo aquele glamour que nosso inconsciente coletivo parece gostar de acreditar que exista no futebol. O livro segue contanto a história de Júlio César até o fim de sua carreira como jogador profissional, o início de uma nova vida profissional, o desenvolvimento de sua surdez chegando até nos levar ao momento mais importante do livro (minha opinião, claro) que foi o desenvolvimento de um projeto pioneiro de inclusão social aos portadores de deficiência auditiva através do esporte.

Jogadas da Vida é um livro que acerta logo em sua introdução contando com uma belíssima apresentação do antigo locutor esportivo e apresentador Osmar Santos. Além dele outros nomes famosos no futebol também marcam presença com depoimentos emocionantes, como é o caso de Zé Maria, Leivinha, Joaquim Grava, Coutinho, entre outros. Embora se trate de uma biografia Jogadas da Vida também se enquadra como livro de autoajuda, mas isso não é chega ser um problema. Em momento algum o livro tenta ser um guia definitivo sobre como superar adversidades e não apresenta também nenhuma receita de bolo de como fazê-lo. A história de Júlio César serve como um exemplo de superação sem se cair para o piegas.

Osmar Santos - "Ripa na chulipa e pimba na gorduchinha"

A parte mais emocionante do livro se dá no momento que Júlio César começa a apresentar todas as dificuldades que ele passou pra fazer acontecer seu projeto de inclusão social e quando ele nos dá um panorama das reais necessidades e dificuldades das pessoas com deficiência auditiva. Admito que o livro me ajudou a ter um panorama diferente das dificuldades passadas pelas pessoas surdas e a rever algumas posições que tinha quanto aos processos educacionais de maneira geral.

A razão que me levou a escolher essa leitura é que pude conhecer Júlio Cesar através de uma palestra  que ele ministrou em Sorocaba e que eu estava presente. Fiquei muito curioso pra saber  mais sobre aquele homem surdo que jogou pelo meu Corinthians, que conseguiu construir uma carreira bem sucedida longe do futebol e que se transformou, além de um educador ,  num palestrante de primeira.

Jogadas da Vida é um livro que merece muito ser lido, seja por nos apresentar uma época em que o futebol era completamente diferente de hoje em dia, seja pelo exemplo de superação, ou pelo incrível trabalho que ele foi capaz de realizar como ex-jogador e que pode beneficiar mais de três mil crianças e adolescentes diretamente através de seus projetos sociais. De tudo que Júlio César de Souza fez o mais importante trabalho realizado por ele foi o de ter escolhido fazer a diferença para milhares de pessoas.

Pra saber mais:

Instituto Jogadas da Vida: http://www.jogadasdavida.com.br/instituto.php

Esse post faz parte do Desafio Literário 2011 e o tema para o mês de fevereiro é biografia e memórias.