Início > Desabafo, Família e Amigos > Um pouco sobre o amor…

Um pouco sobre o amor…

92149194

Hoje é um dia muito especial pra alguém muito próxima de mim, hoje é o dia de seu casamento e eu tive a honra de ser convidado como um de seus padrinhos.

Eu admito que tive certa hesitação em aceitar esse pedido dada a responsabilidade que vejo que tem um padrinho de casamento (os melhores presentes? Não…), mas como eu não poderia aceitar um pedido como esse, poder participar de um dos dias mais importantes da vida dessa pessoa.

Como eu disse a ela o padrinho tem significado de testemunha, ele está ali para testemunhar a união do casal. Mas como tenho uma visão bem particular desse assunto eu gosto de ir um pouco além, pra mim o padrinho é a testemunha não só da união do casal, mas é a testemunha do amor que existe entre eles.

84406330Testemunhamos uma forma de amor diferente de tantas outras formas que existe, não é aquele amor que se sustenta apenas do amor e que com o tempo se consome por completo como o fogo que queima até não ter mais nada para queimar. Não é aquele amor de contos de fadas ou cinematográfico no qual sempre projetamos o relacionamento ideal com a pessoa ideal (o príncipe encantado ou a mulher perfeita), essa forma lúdica e por vezes até infantil é incompatível com essa forma de amor. Esse é um amor real, concreto, palpável, que admite que a outra pessoa possua defeitos, possua diferenças e que existam divergências de opiniões, mas que se sustenta porque é um amor com o propósito de construir algo junto, algo novo, algo maior que ele próprio.

Casamento vem de Casa que é o mesmo que um lar, que família, que é e sempre será o nosso porto seguro e testemunhar o casamento de alguém é assumir que ambos possuem o amor e a disposição para construírem algo juntos e que perdure além do próprio casamento.

Posso não ter colocado da melhor forma possível, mas é nisso que eu gosto de acreditar e é por isso que eu torço não só para eles, mas pra todos que tem esse propósito, essa disposição e esse comprometimento.

 

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

10064901

E que sejam felizes para sempre…

PS: Não sou religioso, mas gosto dessa passagem.

PS do ps: Tá, eu admito fui cafona sim rs.

¶ Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
4 ¶ O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 ¶ O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
Anúncios
  1. Menina Carol
    08/11/2009 às 13:18

    Acompanho seu blog desde que ele nasceu, mas sinceramente, nesse post vc se superou! Falou pouco e falou a essência! Até copiei o texto para miM!

    • icekilmer
      09/11/2009 às 17:21

      Obrigado pelo comentário e fico lisonjeado por isso, só procurei me abrir um pouco mais e expor o que penso sobre esse assunto de forma um pouco mais clara. Talvez esse humilde casmurro também tenha sido tomado por toda essa comoção que envolve o matrimônio.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: