Arquivo

Archive for outubro \30\UTC 2009

Olympus – The PEN Story

Olympus-pen

The Pen Story é um vídeo que comemora os 50 anos do surgimento da histórica Olympus PEN e marca também o re-lançamento da lendária câmera utilizando agora as tecnologias atuais e contando com novos recursos.

O vídeo em questão já é bem famoso na internet, mas ainda assim eu resolvi escrever um pouco sobre ele porque eu achei ele realmente incrível. A primeira coisa a se notar é que o vídeo é uma animação feita através da técnica stop motion e contou com 60000 fotografias para a realização desse video de pouco mais que 3 minutos.

Pra mim essa nem é a grande sacada do vídeo, o que torna esse vídeo simplesmente fantástico é que ele nos traz aquela nostalgia sobre o papel da fotografia em nossas vidas, desde nossa infância e nos seguindo por toda a nossa vida registrando eventos marcantes, pessoas que conhecemos, amigos, familia, etc.

pop14_tripEu sempre gostei muito de fotografia, sempre gostei de registrar a reação das pessoas e de ter o registro de momentos e pessoas especiais que conhecei e acho que essa minha paixão por fotografias tem a ver com minha primeira câmera fotográfica que é uma Olympus Trip 35 (1968) que é da mesma familia da PEN. Essa câmera na verdade era da minha mãe e ela sempre teve um papel muito importante na nossa história, essa câmera já existia antes de eu nascer (não sou tão velho né), ela estava lá no casamento da minha mãe, quando éramos crianças, quando meus pais mudaram para nosso antigo apartamento, etc.

Hoje essa minha câmera está obsoleta, mas pra mim ela é muito mais que uma câmera fotográfica, eu a vejo como uma relíquia, é um tesouro pessoal muito importante pra mim. Com ela eu tirei fotos de pessoas que foram importantes, momentos que foram marcantes, pessoas que eu não vejo mais ou que nunca pude conhecer como a minha avó materna.

Particularmente eu me sinto muito satisfeito por ter tantos momentos registrados por máquinas como essas, por tantas pessoas fazerem parte do álbum de fotografias que compõe a minha vida e também por saber que eu também posso ter feito parte do álbum de outras tantas pessoas.

Caso você tenha gostado da música do vídeo pode baixá-la aqui.

Para visitar o site oficial e conhecer um pouco mais sobre a história  da máquina acesse o seguinte endereço: http://www.olympus.eu/penstory/

Anúncios

Amizades que vem e que vão…

Embora eu não seja um velho posso dizer com propriedade que conheci várias pessoas diferentes em minha vida e algumas delas se tornaram muito importantes pra mim a ponto de que em algum momento eu cheguei a acreditar, daquela forma bem infantil e lúdica, que aquilo iria durar para sempre. Mas o tempo passa e em algum momento todos nós lidamos com o fato que nada é para sempre, que tudo acaba, e como tudo que existe nessa vida mesmo essas grandes amizades também chegam ao fim.

Então o contato diminui, o assunto também, de repente toda aquela afinidade começa a desaparecer tornando visível apenas as diferenças que temos e pouco a pouco aquele rosto amigo parece se tornar um total desconhecido. Nesse ponto muitas pessoas tendem a ficar magoadas, ressentidas, e quando damos por si estamos nos perguntando  – “Como é que ela pode ter mudado tanto?” ou – “Como ela pode ter me esquecido desse jeito?”.

O fato é que ficamos tão preocupados com o que aconteceu com a outra pessoa que esquecemos que nós também mudamos. Temos o hábito de dizer “poxa você sumiu”, mas esquecemos que as vezes fomos nós que não nos fizemos presentes e percebemos que todos os telefonemas, cartas, e-mails, sms, etc, eram feitas pela dita pessoa “sumida”. Acusamos os outros de não terem tempo pra nós e as vezes não vemos que nós também não tivemos tempo pra elas com nossas mudanças de emprego, de cidade, faculdade, pós-graduação, TCC, sem esquecer é claro namoro, noivado e afins. As vezes temos dificuldade de enxergar o óbvio, que a vida é cheia de encontros e desencontros e que esses caminhos que se cruzam ou deixam de se cruzar é apenas a vida acontecendo.

Particularmente eu prefiro ver todas essas mudanças da forma mais positiva possível. Ao invés de ficar me lamentando pela amizade que eu “perdi” eu prefiro agradecer pelo fato de ter tido minha vida tocada por essas pessoas que foram tão especiais pra mim. Até porque de repente esses mesmos caminhos que deixaram de se cruzar podem voltar a se encontrar e mesmo sabendo que nada será como antes é muito bom quando a gente sente que aquele mesmo carinho que havia no início continua lá. E é isso que conta porque é esse carinho que permite que essa mesma amizade, mesmo depois da ação implacável do tempo, se renove e se transforme sempre.

Por isso se de repente você estiver andando por ai e ver do outro lado da rua aquela pessoa que você um dia já chamou de AMIGO e hoje parece não mais te reconhecer, parece ter esquecido de você, experimente então atravessar a rua e dizer um oi. Talvez ela esteja pensando exatamente a mesma coisa de você e um simples “Oi” pode ser o pretexto pra renovar essa amizade, mas tenha certeza que mesmo não sendo nunca mais o que foi um dia nada impede seja algo novo e cheio de felicidade. Mas se isso não acontecer não se arrependa, pelo menos você pode ter a certeza que o que passou foi o suficiente pra ter valido a pena.

Lucky – Colbie Caillat & Jason Mraz


 

PS: A idéia para esse post me veio depois de conversar com alguém muito especial, alguém que já fiz sorrir, que já vi chorar, alguém que ficava feliz ao me ouvir cantar desafinadamente , que me ensinou o que é um abraço de verdade e que já chegou a pedir que nada, nem ninguém, nem mesmo o tempo nos distanciasse. Tivemos nossos momentos, como tudo aquilo que é um momento… passou, mas hoje, mesmo diferente, mantemos o mesmo carinho, o mesmo querer bem um ao outro que tivemos e isso me deixa muito feliz, feliz pelo que já foi e feliz pelo que ainda existe.

Agora o que isso tem a ver com a musiquinha ai em cima? Oras… NADA! Ela foi apenas o pretexto pra uma nova conversa… e pra esse post.

pyong_raposa_fox-14

PS2: Removi o vídeo porque ele ficou fora do ar

Você sabia? Convergência de mídia e o rítmo das mudanças

Did-you-know-4.0

Aconteceu nos dias 20 e 21 de outubro, desse ano, o terceiro Media Convergence Forum em Nova Iorque. O fórum organizado pela respeitada revista inglesa The Economist tinha como intenção trazer a discussão sobre o surgimento de novas tecnologias e inovações de mídia e como essas novidades vem alterando o mercado e os hábitos.

Como estratégia de divulgação do evento e repetindo o sucesso dos anos anteriores foi desenvolvido um vídeo de apresentação, produzido pela Shift Happens (não confundam com a expressão “Shit Happens”), com informações surpreendentes sobre o impacto e a convergência dessa “nova forma” de comunicação.

Bem e qual meu papel nisso? NENHUM! Ou quase…

Já faz um tempo que vi esse vídeo e achei fascinante, como é um vídeo todo em inglês e as vezes eu gosto de me ocupar com coisas que eu não sei fazer eu resolvi tentar traduzir o vídeo, criar as legendas, sincroniza-las e embuti-las num novo vídeo e foi o que fiz. Abaixo o mesmo texto que escrevi na descrição do vídeo no YouTube sobre as legendas:

Essa foi a primeira vez que fiz esse trabalho de traduzir e colocar legendas num vídeo. Normalmente temos o hábito de procurar algo pronto na internet, mas as vezes nos esquecemos que esse “algo pronto” deu um baita trabalho pra muita gente e as vezes é necessário que nós mesmos coloquemos a mão na massa ao invés de esperarmos que caia do céu aquilo que procuramos.
Reconheço que não está tão bom assim, procurei traduzir de uma forma que seria de fácil entendimento a todos e me preocupei em deixar o texto o mais literal possível em algumas situações. Quanto a sincronização fiz o possível para respeitar os padrões brasileiros referentes a tempo e quantidade de caracteres por linha. Ainda assim acredito que o trabalho está no mínimo razoável.

Vejam o vídeo abaixo é realmente muito interessante, mas uma recomendação antes, procurem vê-lo em tela cheia ou direto no YouTube porque a legenda aparece maior.

Para ver o vídeo sem legenda clique aqui.

Para ver as versões anteriores clique nos links correspondentes: